A implantação do 5G móvel e as possibilidades de crescimento industrial no país

Publicado por: Redação
04/01/2022 17:35:21
Exibições: 30
Cortesia Editorial Pixabay
Cortesia Editorial Pixabay

O desenvolvimento da rede 5G móvel trará inúmeras novas possibilidades de crescimento para o país. Com conectividade em alta velocidade, realidades ainda um pouco distantes do dia a dia do brasileiro, como casas inteligentes e IoT (internet das coisas) poderão aos poucos fazer parte do cotidiano. Em todo o mundo, as conexões via 5G atingiram a marca de 438 milhões no terceiro trimestre de 2021 e podem chegar a 540 milhões até o fim do ano, conforme apontam os dados divulgados pela pesquisa feita pela Omidia.

 

Já segundo a Gartner, empresa mundial de consultoria em tecnologia da informação (TI), as análises e projeções para 2020 eram de um crescimento de 5,8 bilhões no mercado de dispositivos IoT, motivados principalmente pelos setores de saúde, cidades inteligentes, comércio, edifícios inteligentes, agricultura, indústria e mercado automotivo.

 

Para isso começar a virar realidade no nosso país, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações firmou um acordo de cooperação técnica com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD), que visa a pesquisa e experimentação para a implantação de uma rede segura, e com alta disponibilidade e desempenho para uso na educação, pesquisa e inovação, o que muito irá contribuir para o desenvolvimento da tecnologia no país.

 

A pesquisa tem foco em desenvolver redes abertas, através de ondas de rádio, que transmitirão o sinal 5G nas frequências anteriormente utilizadas pela TV analógica, algo que trará acesso amplo e poderá abrir a possibilidade de novas demandas por produção de novos softwares e aparelhos digitais que atendam à demanda por acesso à nova conectividade, trazendo mais democratização ao acesso à tecnologia. Porém, ainda há muitos desafios para a implantação.

 

“Uma coisa importante que não está se falando tanto, como deveria ser falado por conta da relevância que isso representa, é que o próprio 5G vai puxar ainda mais a capilaridade da infraestrutura óptica e tenho batido muito nessa tecla. O mercado mesmo não sabe que o 5G (uma rede sem fio) vem das ondas eletromagnéticas de alcance amplo (360 graus), provenientes de estações de rádio até os nossos aparelhos, o que indica um sinal aberto, difundido em várias direções”, explica Eduardo Grizendi, diretor de Engenharia e Operações da RNP.

 

Grizendi ainda prevê uma oportunidade de crescimento industrial no país por conta do sinal amplo via ondas de rádio a ser oferecido pelo 5G e também nas demandas por serviços técnicos: “O 5G trará a demanda por equipamentos que chamamos ‘mais parrudos’, ou seja, hardwares como as white boxes para serem configurados de acordo com as necessidades a serem solucionadas, e também possibilitará o compartilhamento das infraestruturas de transmissão, gerando assim várias frentes de ofertas de serviços em soluções ópticas”.

 

Ou seja, o sinal do 5G pode trazer:

Novos entrantes do mercado, como pequenos fabricantes de hardware;
Surgimento de novos softwares para novos aparelhos digitais que atenderão residências e empresas;
Demanda por profissionais capacitados para atender à demanda de produção industrial e serviços ópticos;
Infraestrutura sob medida: atender o cliente com a fatia de espectro que ele precisa;
Crescimento industrial;
O 5G impulsionará o desenvolvimento tecnológico, mais do que o científico;
Mais estabilidade nas conexões, possibilitando a utilização de mais aparelhos domésticos ligados à internet (IoT).

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários