Startup baiana aposta na nuvem para transformar a gestão pet no Brasil | TVCLASSIFICADOS.com Para Dispositivos Conectados

SimplesVet nasceu 100% digital e com serviços personalizados na cloud para inovar um mercado que cuida de 132 milhões de pets pelo país   A SimplesVet, empresa focada em serviços de cloud computing para clínicas veterinárias e pet shops

tecnologia, negócios, empreendimentos, aplicativos, petshops, veterinária

Startup baiana aposta na nuvem para transformar a gestão pet no Brasil

Publicado por: Redação
08/04/2018 16:04:13
(Courtesy Pixabay)
(Courtesy Pixabay)

SimplesVet nasceu 100% digital e com serviços personalizados na cloud para inovar um mercado que cuida de 132 milhões de pets pelo país

 

A SimplesVet, empresa focada em serviços de cloud computing para clínicas veterinárias e pet shops, está impulsionando a transformação digital de um mercado historicamente tradicional que impacta a vida de mais de 132 milhões de pets, segundo dados da AbinPet. E, para atender a toda esta demanda, o Brasil tornou-se o país com mais médicos veterinários no mundo, com mais de 110 mil profissionais no mercado, afirma a CFMV.

 

Ao ver nas próprias famílias as dificuldades enfrentadas por veterinários no dia a dia em um mercado que já era grande em 2013, os baianos Josafá Trigo, Salvador Torres e Fábio Castro fundaram a SimplesVet, uma empresa 100% digital e nascida na nuvem. Atualmente ocupando a cadeira de CEO, Trigo usou a experiência como analista de sistemas para criar na nuvem uma solução transformadora para substituir aquelas velhas planilhas, integrando gestão financeira, relacionamento com o cliente, suporte e treinamento ideais para clínicas e petshops.

 

O objetivo era modernizar um dos mercados mais crescentes no Brasil. Quatro anos após o lançamento, já são 1.200 clínicas e petshops em todo o país que utilizam a plataforma e, a cada mês, uma média de 60 novas empresas aderem ao serviço. Nos últimos 12 meses, foram mais de 10 mil profissionais usando o sistema diariamente, com mais de meio milhão de animais atendidos, um milhão de agendamentos e 10 milhões de produtos vendidos.

 

Para o executivo, havia uma oportunidade de mercado a ser explorada: “Quem se forma em veterinária ama animais, não gestão. Nunca vi alguém reclamando de lidar com algum caso difícil no cuidado com animais, mas sempre reclamam da burocracia, gestão de pessoas e análise de números”. Segundo ele, a expansão contínua do mercado tem criado muitas oportunidades para os veterinários empreenderem, gerando uma demanda por softwares de gestão que simplifiquem a rotina de pequenas e médias empresas. Com isso em mente, o empresário começou a desenvolver uma solução simples, pensada e desenvolvida para esse mercado.

 

Entre as características do sistema estão emissão de nota fiscal, importação de dados XML, controle de caixa, agenda, dados de atendimento, fotos para acompanhamento, prontuário dos animais, carteira de vacinação e várias outras, que centralizam e facilitam o dia-a-dia dos profissionais da área.

 

Para clientes das clínicas e lojas, também há facilidades. Os serviços estão reunidos num aplicativo que permite a emissão de segunda via de receita, traz calendário de vacinação do pet, agenda de compromisso, troca de mensagens via SMS ou email, entre outros recursos, que melhoram o relacionamento entre a empresa e o cliente, incentivam o retorno e aumentam o faturamento.

 

Investimento certeiro

A SimplesVet é uma empresa que faz bootstrapping, isto é, conta com o capital dos próprios sócios. Por conta disso, os investimentos da empresa em tecnologia precisam ser certeiros, e não apostas.

 

Experiências anteriores com parceiros de TI deram para a SimplesVet o conhecimento de que, para rodar um sistema que atendesse a milhares de empresas ao mesmo tempo com segurança, seria necessário contar com uma infraestrutura robusta e estável. “Tínhamos a ideia fixa de que a nossa infraestrutura não seria cuidada por nós, pois precisávamos cuidar dos produtos e clientes, e não dos servidores”, explica Trigo.

 

A solução para esse desafio aconteceu em 2013, durante um evento da Amazon web Services. Foi quando decidiram levar 100% da operação para a nuvem da AWS para reduzir os custos que viriam atrelados a uma estrutura física de TI e para agilizar todos os processos de forma escalável, a fim de atender demandas crescentes e implementar novos serviços de acordo com a necessidade.

 

Atualmente, o planejamento anual da estrutura leva apenas meia hora para ser realizado - cerca de 15 minutos para aplicar novas instâncias e a outra metade para avaliar os resultados após alguns dias de acompanhamento das métricas. Com esses dados em mãos, é possível tomar decisões rápidas e sem impacto para o cliente.

 

“A AWS evolui numa velocidade absurdamente maior que as nossas necessidades, então conseguimos enxergar nosso negócio em outros patamares”, avalia Trigo. “Percebemos que a AWS está com um drive muito claro em big data, inteligência artificial e data mining. Isso já nos fez mudar a missão da empresa: parte significativa do futuro do nosso negócio está na informação. Ao saber quais serviços são adquiridos por cada cliente, em cada uma das 1.200 empresas que trabalhamos, podemos nos dedicar a criar novas soluções que gerem ainda mais valor para cada cliente”, completa o executivo.

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar